quinta-feira, 16 de abril de 2009

Revelando-me


Quem eu sou?

Sou resultado de mim e dos sentimentos que me afloram.

Um pouco mais velho, mais cansado, com marcas no corpo, na alma e no coração.

Enraizados em mim ideologias que inventei, canções, poemas e romances – sou um conjunto uniforme das minhas sensações e das minhas dúvidas.

Sou eu e o mundo...

Que mundo? Quem eu? Quantas primaveras nasceram e morreram em mim?

Existo. Resisto. Permaneço.

Com a crença inabalável de desconfiar de quase tudo e de acreditar em quase nada.

Espero. Tenho esperança mesmo assim, embora niilista.

Sou a contradição em coração, carne, ossos, nervos e sentimentos.

Doce e amargo. Repleto e vazio. Antitético e paradoxal. Limitado e infinito. Anjo e demônio, santo e pecador, tudo e nada. Milhões e único.

Quem eu sou? Ainda não sei. Estou tentando descobrir.

Um comentário: