segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Buscando... O quê?


Busco inspiração no fundo de mim, no poço onde não se vê nada. Apenas escuridão.

As palavras são repetidas, tudo soa tão falso, tão insensato.

Talvez se eu morresse pela arte encontraria sobre o que escrever.

Mas se eu morresse não teria como escrever. Quero, portanto, vida. Vida pela e em nome da arte. Que arte?

Tudo em mim são trevas sem nome, sem origem e sem pátria.

... Mas...

Seriam as palavras arte? Ou seriam demagogia, mera especulação da realidade?

Talvez eu seja um fingidor, como afirmou Pessoa.

O que fazer então?

Por ora me basta escrever, mesmo sem ritmo, sem profundidade, sem paixão. As palavras devem falar por si.

Um comentário:

Polêmica disse...

Dizem que as palavras são pensamentos que viraram expressão. Talvez nosso pensamento seria uma arte!!!

Beijinhos!