quinta-feira, 7 de julho de 2011

Entre a luz e a agonia

Pereço
ou padeço?
Pareço
acaso,
ocaso,
opaco.

Perco
ou parco?
Parto-me,
parvo,
pêndulo
pensante.

Agônico
ou atônito?
apático,
imploro
outrora
a aurora.

Pela fresta
uiva o vento
na réstia
inerte
de um sol
caduco.

2 comentários:

mari disse...

Boa tarde Paulo,poeticamente lindo blog.Aprecio muito suas poesias...Palavras de renovação.Abraços e força sempre.

Paulo Avila disse...

Oi, Mari! Você pode conhecer mais sobre minha obra no Facebook, digitando o nome dos meus livros: Devaneios, Despido, Lembranças de Cássia e o último livro, Destino, niilismo e redenção. Grande abraço e obrigado pelas palavras!