quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Fechado


Hoje não estou para ninguém. Estou fechado para balanço, para reformas, para qualquer coisa parecida ou que me seja conveniente.


Pareço uma bomba-relógio, uma panela de pressão prestes a explodir.

Não me importunem, deixem-me quieto no meu canto. Estou irritado e algum comentário inoportuno pode acender o pavio da aspereza, coisa rara em meu temperamento.

Não gritem perto de mim, não insistam com coisa alguma, não peçam dinheiro emprestado, não tentem me agradar, não me desmintam, não me deixem nervoso, não me provoquem. Hoje quero ficar em paz, sem olhares a minha volta, sem gente esquisita, sem petulantes que não se percebem inconvenientes.

Deixem-me em paz, pelo amor de Deus!
Hoje não estou para ninguém.


2 comentários:

___Psiquê___ disse...

What time does the open? *rs*

Polêmica disse...

Mas o nosso maior desafio é sentir paz no meio de multidões e no meio de guerras!

Beijinhos!